Notícias
 

 

 
 
             
I
Noticias
 

O ADEUS AO "REI DO BRASIL MUNDIAL"

JORGE RODRIGUES - UM AMIGO QUE SE VAI...

VOCÊ VIU O JORGE PASSAR?


Texto de Pe. Marcos Antônio Alencar Duarte, SDN


Jorge era um homem bom. Piedoso, simples, humilde e inteligente. Gostava de conversar, contar seus causos e apresentar seu mundo possível. Suas estórias demandava tempo, pois se você contra argumentasse ele tinha sempre uma resposta pronta para tentar te convencer. Era interessante ouvi-lo, mais ainda: era tentar imaginar seu mundo, suas ideias, seus personagens e suas soluções para muitos problemas no campo da política e da economia.

Quem dos senhores e senhoras que se encontram no Santuário do Bom Jesus que conheceu o Jorge mais de perto não ouviu suas estórias? E cada uma mais bem construída que a outra. Seria importante reunir quem sabe estes causos, desta ilustre figura de nossa pequena Manhumirim para depois publicá-los. Seria um bom trabalho prestado a comunidade.

Quero recordar três virtudes do Jorge que me chamaram atenção:

Homem piedoso – Gostava de rezar no santuário pela memória de seus pais. Várias vezes o encontrei olhando da porta do santuário para o cemitério e começava falar de seus pais, nomes e alguma coisa deles. Era saudade? Talvez sim, pois falava dos seus com nostalgia e gratidão. Era frequente nas celebrações.  Em toda missa comungava e no final tinha que ir à sacristia para cumprimentar o padre e pedir uma bênção. Assim se expressava: “Sô vigário quero uma bênção e água benta porque estou com o corpo doído e as pernas muito inchadas”. Depois das orações, ele cumprimentava e dizia: “Deus ajudando vou sarar né sô vigário”.

Empreendedor - Que não se lembra de seus projetos de melhoria para Manhumirim e para o Brasil? Um deles era trazer o mar para Manhumirim. Em detalhes descrevia seu projeto. Quando ouvia este seu plano fica imaginando como ele construía esta ideia em perfeita projeção.  Um dia conversando com ele sobre a queda de Dilma e a tomada do poder por Temer. Ele disse “Sô vigário tá tudo errado não deixaram eu tomar posse olha o que deu. Vou agora derrubar o Temer para colocar as coisas no lugar”. Ele tinha consciência de que ele era um líder político, mas sempre, era passado para trás. Mas, não parava de sonhar com um dia de tomar o poder e fazer tudo aquilo que ele sonhava para o Brasil.

Ser família - Ele queria formar uma família. Mas, a mulher tinha que ser nova. Queria ter filhos para ensiná-los a trabalhar, assim como seus pais o ensinaram a ser um homem de bem e de moral. Mas, tinha alguém fazendo maldade com ele. Por isso, não arrumava uma namorada. Um dia me procurou bravo e disse: “Sô vigário assim não dá, roubaram minha certidão de nascimento e estão registrando crianças no meu nome. Desse jeito moça nenhuma vai querer casar com homem cheio de filhos com várias mulheres”. Perguntei: mas, como você descobriu esta estória Jorge? Ele respondeu sorrindo: “sô vigário, quando eu passo pela rua os meninos todos ficam me xingando de pai. O senhor tem que me ajudar”.

O Jorge deixa um legado: viver a vida sem preocupação. Na sua leveza. Andando por todos os lados, sorrindo, palestrando com um e com outro. Nada de divisão, violência ou ódio. Ainda: viver a vida criando estória, inventando personagens e fugindo da vida “séria” dos homens que perverte as pessoas. O seu mundo era tranquilo, não tinha os problemas que inventamos para nós.

Pois bem, hoje nos reunimos com fé para depositar a vida do Jorge nas mãos de Deus. Que o Criador o acolha no paraíso, onde não mais existe o medo de sonhar e de ver a beleza de Deus e de sua obra. E nem mais a desconfiança no outro, pois seremos todos irmãos, filhos de um mesmo Pai, pelo amor do Filho, na santidade do Espírito.

Jorge, o bom combatente de Manhumirim. Vá para junto de Deus. Vamos sentir saudades de você e de suas estórias, sempre nos perguntaremos: Você viu o Jorge hoje? Logo alguém responderá: Você não sabe? Ele foi para o céu, ser secretário de São Pedro no controle da porta do céu. Vá com Deus, com Nossa Senhora e com o Pe. Júlio Maria. Jorge descanse em paz!!!

Documentário em homenagem a Jorge Rodrigues da Silva, o "REI DO BRASIL MUNDIAL" - JORGE LERETA

José Renato e Sara Lourenço - curadores de Jorge no aniversário do rei

Jorge e o amigo João Rosendo

Graça e Jairo no aniversário de Jorge

Paula Gonzaga a cabeleireira preferida de Jorge a qual ele chamava de "Ana Paula do cabelerera"

 

 

 

 

 

 

Jornal Boca do Povo - DIREÇÃO JOÃO ROSENDO - Copyright 2010 - Todos os direitos reservados